Empresária vai a julgamento por assassinato de advogado ocorrido há nove anos, em Fortaleza
Corpo de Antônio Jorge foi encontrado alvejado dentro da caçamba de uma picape. — Foto: Kiko Silva / Sistema Verdes Mares
Corpo de Antônio Jorge foi encontrado alvejado dentro da caçamba de uma picape. — Foto: Kiko Silva / Sistema Verdes Mares

Empresária vai a julgamento por assassinato de advogado ocorrido há nove anos, em Fortaleza

Segundo o MPCE, crime foi cometido pela mulher junto de pessoas que não foram identificadas, com o uso de arma de fogo.

A Justiça do Ceará definiu que a empresária Francisca Elieuda Lima Uchoa vai a julgamento no próximo dia 9 de outubro, pelo assassinato do advogado Antônio Jorge Barros de Lima. O crime aconteceu no dia 31 de maio de 2010, em Fortaleza.

Conforme a acusação do Ministério Público do Ceará (MPCE), o homicídio foi cometido pela mulher junto a pessoas que não foram identificadas, com o uso de arma de fogo. A defesa de Francisca Elieuda não atendeu às ligações.

Elieuda foi identificada por testemunhas como a mulher que chegou ao escritório do advogado, localizado no município de Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), e depois saiu com ele, aproximadamente às 11h daquele dia. Por volta de 14h30, o corpo de Antônio Jorge foi encontrado alvejado com tiros dentro da caçamba de uma picape, de sua propriedade, na Rua Barão de Lucena, no Bairro Guajiru, em Fortaleza.

O advogado atuava na Câmara de Vereadores de Eusébio e atendia nas áreas criminal, cível e família, além de ser fã de automobilismo e presidir a Associação dos Pilotos de Marcas e Endurance do Ceará.

Celular encontrado

Uma prova da participação de Francisca Elieuda na morte de Jorge foi descoberta em outra investigação, da Polícia Federal (PF). Um aparelho celular do advogado foi encontrado na posse da empresária. A família da vítima reconheceu o objeto.

A PF investigava o duplo homicídio que vitimou Carlos José Medeiros Magalhães e sua esposa Maria Elisabeth Almeida Bezerra, no bairro Conjunto Esperança, na Capital, no dia 2 de agosto de 2010. Elieuda também responde pelo crime, junto do marido (um ex-policial militar) e de um homem iraniano que seria chefe de um grupo de extermínio no Ceará.

Advogado Antônio Jorge Barros de Lima foi encontrado morto no dia 31 maio de 2010. — Foto: ReproduçãoAdvogado Antônio Jorge Barros de Lima foi encontrado morto no dia 31 maio de 2010. — Foto: Reprodução
13/09/2019 – 10:16